PNAD Contínua - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Trabalho

A PNAD Contínua visa produzir indicadores para acompanhar as flutuações trimestrais e a evolução, a médio e longo prazo, da força de trabalho e outras informações necessárias para o estudo e desenvolvimento socioeconômico do País.

Séries Históricas

 

Visando atender a demandas dos usuários, suprir necessidades para a formulação e gestão de políticas públicas, minimizando continuamente as lacunas existentes na produção nacional de estatísticas, o IBGE implantou a PNAD Contínua, que substituirá as estatísticas sobre mercado de trabalho obtidas a partir da Pesquisa Mensal de Emprego - PME e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD, potencializando os resultados produzidos por ambas, agregando, em relação à primeira, a cobertura do território nacional e, em relação à segunda, a disponibilização de informações sobre trabalho com periodicidade de divulgação que permitirá a análise conjuntural do tema.

A pesquisa é realizada por meio de uma amostra probabilística de domicílios, extraída de uma amostra mestra de setores censitários, de forma a garantir a representatividade dos resultados para os diversos níveis geográficos definidos: Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação e Regiões Metropolitanas que incluem os municípios das capitais. A cada trimestre, a PNAD Contínua investiga em torno de 211.000 domicílios em aproximadamente 16.000 setores censitários. Em Goiás foram investigados 7.387 domicílios de 545 setores em 144 municípios.

Na PNAD Contínua, as informações sobre o tema trabalho são captadas em dois questionários: um reduzido, restrito às informações sobre o trabalho que gera rendimentos para o domicílio, ou seja, cuja produção é voltada para o mercado; e um ampliado, de nível mais abrangente, aplicado na primeira entrevista de cada domicílio, que inclui além das variáveis contidas no reduzido, informações sobre outras formas de trabalho, cuja produção não é voltada para o mercado.

Para produzir informações trimestrais, o questionário reduzido, juntamente com as características básicas dos moradores (condição no domicílio, sexo, idade, cor ou raça e educação) são investigados em 100% dos domicílios pesquisados em cada trimestre.

Com a implantação desse sistema, o IBGE iniciou uma importante etapa de aprimoramento no seu sistema de pesquisas domiciliares, que propiciará maior eficácia diante de frequentes demandas por informações sobre as condições socioeconômicas e demográficas da população do País.

Publicações

A taxa de desocupação em Goiás atingiu 10,4% no 4º trimestre de 2019

16 Abril 2020
Dados recentes divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc-IBGE) mostra o desempenho no mercado de trabalho para o 4º trimestre de 2019. O nível de ocupação é calculado pelo percentual de pessoas ocupadas na semana de referência em relação àquelas em idade de trabalhar. 

O nível de ocupação aumentou 0,3 pontos percentuais em relação ao 3º trimestre do ano anterior

18 Fevereiro 2020
Dados divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc-IBGE) mostram o desempenho no mercado de trabalho para o 3º trimestre de 2019. O nível de ocupação é calculado pelo percentual de pessoas ocupadas na semana de referência em relação àquelas em idade de trabalhar.

Taxa de desocupação caiu 0,2 ponto percentual em relação ao 1º trimestre de 2019 - 2º Trimestre/2019

30 Agosto 2019
Os resultados mais recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc-IBGE) para o 2º trimestre de 2019 mostraram que a taxa de desocupação está elevada em todo o País. Contudo, se for comparado o segundo trimestre de 2019 tanto com o primeiro trimestre de 2019 como com o segundo trimestre de 2018 houve quedas da taxa de desocupação em praticamente todas as Unidades da Federação.

Goiás tem no 1º trimestre de 2019 a 7ª menor taxa de desocupação do Brasil com 10,7% - 1º Trimestre/2019

31 Mai 2019
Os resultados mais recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc-IBGE) para o 1º trimestre de 2019 mostraram que a taxa de desocupação está elevada em todo o País. Mais especificamente, se for comparado o primeiro trimestre de 2019 com o 4º trimestre de 2018 houve um aumento na taxa de desocupação em quase todas as Unidades da Federação, com a exceção de Roraima onde houve uma queda de 0,1 ponto percentual no indicador.

Taxa de desocupação em Goiás caiu 1,2 ponto percentual no 4º trimestre de 2018 comparada ao mesmo período do ano anterior - 4º Trimestre/2018

14 Março 2019
De acordo com os dados mais recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc-IBGE), a taxa de desocupação em Goiás caiu pelo terceiro trimestre consecutivo, alcançando 8,2% no 4º trimestre de 2018, o que representou uma redução de 0,7 ponto percentual (p.p.) em relação ao trimestre anterior (8,9%) e uma queda de 1,2 p.p. se comparada à do 4º trimestre de 2017 (9,4%).

Taxa de desocupação em Goiás cai 0,63% no 3º trimestre de 2018 - 3º Trimestre/2018

03 Dezembro 2018
A taxa de desocupação de Goiás caiu pelo segundo trimestre consecutivo, alcançando a taxa de 8,9% no 3º trimestre de 2018, o que representou uma redução de 0,6 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNADc-IBGE).

Taxa de desocupação em Goiás cai 0,7 pontos percentuais no 2º trimestre de 2018 - 2º Trimestre/2018

23 Agosto 2018
A taxa de desocupação ou desemprego de Goiás reduziu para 9,5% no segundo trimestre de 2018, o que representou uma redução de 0,7 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc-IBGE).