Análises Conjunturais Levantamento Sistemático da Produção Agrícola 2016

Categoria Pai: Análises Conjunturais
Categoria: LSPA - Levantamento Sistemático da Produção Agrícola

A projeção mais recente para a safra goiana do ano de 2016 – Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA/IBGE), posição julho de 2016 – sinaliza para uma queda de 14% na produção de grãos (algodão, amendoim, arroz, feijão, girassol, milho, soja, sorgo e trigo). Assim, a produção de grãos deve fechar o ano de 2016 com 16,823 milhões de toneladas, valor bastante inferior ao registrado no anterior, 19,56 milhões de toneladas.

A queda generalizada na produção de grãos se deu principalmente pelas condições climáticas adversas. No período de cultivo de importantes culturas, havia excesso de chuvas, o que fez com que vários produtores postergassem parcialmente o plantio. Todavia, após o plantio o volume de chuvas esperados acabou sendo frustrado, dando lugar a um período de longa estiagem. Tudo isso fez com que várias culturas apresentassem uma grande queda de produção e produtividade.

Nesse primeiro semestre de 2016, foi emblemático em Goiás o caso da quebra de safra de milho, que levou diversos municípios, como Jataí, Uruaçu, Goiatuba, dentre outros, a decretarem estado de calamidade pública.  Nessa direção, destaca-se que de toda área plantada de milho, apenas 60% foi colhida, ou seja, houve uma perda de 40% da área plantada, um ótimo barômetro da quebra de safra.

Muitos produtores rurais, que paralelamente ao cultivo de milho exercem a atividade de pecuarista, optaram por soltar o rebanho de gado na plantação de milho, haja vista a qualidade ruim da segunda safra de milho. 

A figura 1 mostra o volume de precipitação ao longo último trimestre de 2015 e primeiro semestre de 2016. Verifica-se claramente que durante o plantio de importantes culturas houve um excesso de precipitação, enquanto a partir do primeiro trimestre de 2016, o período de estiagem prolongado se fez presente em quase todo território nacional.

Figura 1: Volume de chuva no último trimestre de 2015 e no ano de 2016.

 

 Clique em cada mapa para ampliar

 

 

Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia. Elaboração: Instituto Mauro Borges/Segplan-GO / IMB / Gerência de Contas Regionais e Indicadores – 2016



Na contramão dos resultados ruins, a soja caminha para uma safra recorde, inclusive com ganho de produtividade de 0,5 ponto percentual em relação ao ano de 2015, conforme tabela 1. O ganho de produtividade foi generalizado ao longo de Goiás.

 

 

 

 

Tabela 1: Estado de Goiás: Área, produção e rendimento médio dos principais produtos agrícolas nos anos 2016 e 2015.

Produto

Safra 2015

Safra 2016

Variações (%)

Área colhida (ha)

Produção (t)

Rend. Médio (t/ha)

Área colhida (ha)

Produção (t)

Rend. Médio (t/ha)

Área colhida (ha)

Produção (t)

Diferença em p.p. do rendimento médio

Cereais, leguminosas e oleaginosas

5.082.377

19.561.651

3,8

4.981.750

16.823.757

3,4

-2,0

-14,0

-0,5

Algodão herbáceo

32.175

131.995

4,1

29.966

90.012

3,0

-6,9

-31,8

-1,1

Arroz

25.258

108.938

4,3

24.504

111.680

4,6

-3,0

2,5

0,2

Cana-de-açúcar

930.552

72.653.062

78,1

907.214

70.433.372

77,6

-2,5

-3,1

-0,4

Feijão

127.532

300.190

2,4

129.636

319.429

2,5

1,6

6,4

0,1

Girassol

7.290

11.133

1,5

15.451

16.696

1,1

111,9

50,0

-0,4

Milho

1.376.843

9.512.503

6,9

1.299.457

5.646.233

4,3

-5,6

-40,6

-2,6

 Soja

3.260.025

8.606.210

2,6

3.285.329

10.200.641

3,1

0,8

18,5

0,5

Sorgo

243.974

898.123

3,7

180.765

392.879

2,2

-25,9

-56,3

-1,5

Alho

2.328

37.741

16,2

428

6.077

14,2

-81,6

-83,9

-2,0

Banana

13.011

194.311

14,9

13.084

192.734

14,7

0,6

-0,8

-0,2

Batata-inglesa

5.838

243.470

41,7

2.082

65.110

31,3

-64,3

-73,3

-10,4

Café arábica

7.827

21.339

2,7

4.929

14.263

2,9

-37,0

-33,2

0,2

Tomate

10.543

907.603

86,1

8.125

718.345

88,4

-22,9

-20,9

2,3

Fonte: LSPA (IBGE); Elaboração: Instituto Mauro Borges/Segplan-GO / IMB / Gerência de Contas Regionais e Indicadores – 2016.

 

No Gráfico 1 são apresentadas as participações relativas das áreas colhidas de: soja, milho e cana-de-açúcar em relação área colhida dos principais produtos agrícolas de Goiás - os mesmos produtos que estão listados na tabela 1, exceto o agregado de Cereais, leguminosas e oleaginosas – nos anos de 2015 e 2016. Visualiza-se que houve um aumento da participação relativa da área colhida de Soja de 1,8 (p.p.), resultado esse que justifica a expressiva safra de soja estimada para o ano de 2016.

 

 

 

 

Equipe de Conjuntura do IMB:

Dinamar Maria Ferreira Marques

Luiz Batista Alves

Sérgio Borges Fonseca Júnior

 

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.