Comércio varejista goiano cresce 11,4% em agosto de 2012


Os resultados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontaram para o estado de Goiás, no mês de agosto, crescimento tanto em termos de volume quanto em receita. O ganho em volume de vendas foi de 11,4% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, de 9,6% no acumulado do ano e de 8,2%, no acumulado dos últimos doze meses. Para a receita nominal de vendas, na comparação na mesma ordem, apresentaram taxas de variação de 13,4%, 11,9% e 10,7%, respectivamente.

Para o Brasil, a expansão no volume de vendas foi de 10,1% e de 13,7% na receita. Nos últimos 12 meses, o volume de vendas foi de 7,8%, totalizando 12,1% para a receita de vendas. No que tange ao volume de vendas para as unidades da federação, todas apresentaram taxas positivas (comparativo agosto 2012/agosto 2011), com destaque para Roraima (28,8%), Amapá (24,6%) e Grosso do Sul (22,6%).

Tabela 1 - Brasil e Estado de Goiás: Variação do volume de vendas no comércio varejista - 2012

(Base: Igual mês do ano anterior = 100)

 

Segmentos

Variação (%)

 

Brasil

Goiás

 

Variação Mensal

Acumulado

Variação Mensal

Acumulado

 

No    Ano

12       Meses

No    Ano

12       Meses

 

jun/12

jul/12

ago/12

jun/12

jul/12

ago/12

 

Comércio Varejista Geral

9,4

7,2

10,1

9,0

7,8

11,7

9,4

11,4

9,6

8,2

 

Combustíveis e lubrificantes

6,8

7,7

10,1

5,8

3,8

2,4

6,8

10,5

-1,0

-3,9

 

Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo

11,1

5,0

8,5

8,8

7,2

12,0

5,0

6,0

8,5

8,3

 

Hipermercados e supermercados

11,6

5,3

8,9

9,2

7,5

13,1

5,5

6,9

9,4

8,9

 

Tecidos, vestuário e calçados

0,6

5,7

8,3

2,6

1,6

-4,2

3,1

6,2

1,1

1,1

 

Móveis e eletrodomésticos

15,6

12,6

16,6

14,2

14,2

17,7

17,2

20,2

16,8

13,6

 

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos

11,3

11,4

12,8

11,2

10,3

14,0

13,0

16,5

13,5

12,1

 

Livros, jornais, revistas e papelaria

9,5

6,3

4,0

4,3

3,5

86,1

83,9

55,2

54,3

40,3

 

Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação

-18,5

11,3

11,9

15,6

18,8

20,7

64,4

13,4

19,8

10,9

 

Outros artigos de uso pessoal e doméstico

6,6

6,4

10,4

7,7

5,5

19,2

17,7

34,0

17,5

12,4

 

Comércio varejista ampliado geral

12,5

10,2

15,7

8,6

6,8

11,1

14,2

17,4

8,2

5,8

 

Veículos, motocicletas, partes e peças

20,7

16,4

26,3

7,9

4,8

10,2

18,2

23,9

6,1

2,9

 

Material de construção

0,5

5,5

8,5

8,7

7,8

13,6

17,0

15,6

11,1

9,8

 

Fonte: IBGE - Pesquisa Mensal de Comércio.  

Elaboração: Segplan-GO / IMB / Gerência de Contas Regionais e Indicadores – 2012.

 



O Comércio varejista ampliado, composto pelos segmentos de veículos, motocicletas, partes e peças e material de construção cresceu 17,4% em volume no mês de agosto de 2012, ante o mesmo mês do ano anterior, acumulando no ano taxa positiva de 8,2% e em 12 meses, de 5,8%. Com referência à receita nominal de vendas, em agosto/12 apresentou resultado positivo de 16,1%, superior ao apresentado em agosto de 2011 (12,2%), sendo que no ano acumulou 8,3% e em 12 meses 6,7%.

 

Tabela 2 - Brasil e Estado de Goiás: Variação da Receita Nominal de Vendas no Comércio Varejista - 2012

(Base: Igual mês do ano anterior = 100)

 

Atividades

Variação (%)

 

Brasil

Goiás

 

Variação Mensal

Acumulado

Variação Mensal

Acumulado

 

No    Ano

12    Meses

No    Ano

12    Meses

 

jun/12

jul/12

ago/12

jun/12

jul/12

ago/12

 

Comércio Varejista Geral

12,6

10,4

13,7

12,1

11,4

13,6

11,5

13,4

11,9

10,7

 

Combustíveis e lubrificantes

5,9

5,4

7,7

5,3

6,1

-2,2

0,2

3,7

-4,5

-3,1

 

Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo

17,9

12,6

16,5

15,2

13,9

19,7

12,9

13,2

15,1

14,7

 

Hipermercados e supermercados

18,1

12,6

16,6

15,4

14,0

20,7

13,2

14,0

15,8

15,2

 

Tecidos, vestuário e calçados

2,7

7,7

9,9

6,1

7,1

-3,4

5,1

8,7

4,8

6,4

 

Móveis e eletrodomésticos

10,7

7,7

10,9

10,0

10,0

16,4

14,9

17,6

14,4

9,9

 

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos

13,1

13,4

15,4

13,9

13,7

14,8

14,0

17,3

14,9

13,9

 

Livros, jornais, revistas e papelaria

10,2

6,8

5,4

6,2

6,6

89,4

87,6

59,4

58,1

44,1

 

Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação

-23,1

3,8

4,6

6,5

7,1

4,6

45,5

4,6

7,5

0,2

 

Outros artigos de uso pessoal e doméstico

9,1

8,8

12,9

10,5

9,4

22,9

20,5

36,2

21,1

17,2

 

Comércio varejista ampliado geral

12,6

10,5

16,1

9,8

8,5

10,9

12,6

16,1

8,3

6,7

 

Veículos, motocicletas, partes e peças

14,7

11,1

21,1

5,0

2,4

5,3

10,8

16,6

2,1

0,1

 

Material de construção

2,9

7,8

10,3

11,0

10,3

19,4

22,8

22,8

17,0

15,5

 

Fonte: IBGE - Pesquisa Mensal de Comércio. 

Elaboração: Segplan-GO / IMB / Gerência de Contas Regionais e Indicadores – 2012.

 

 

 

Resultados por segmento do comércio varejista e varejista ampliado

 

No mês de agosto, todas as dez atividades consideradas apresentaram variações positivas para o volume de vendas. Merecem destaque as atividades de: livros, jornais, revistas e papelaria 55,2%; outros artigos de uso pessoal e doméstico 34,0%; veículos, motocicletas, partes e peças 23,9%; móveis e eletrodomésticos 20,2% e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, 16,5%.

O segmento de livros, jornais, revistas e papelaria apresentou pelo sexto mês consecutivo o melhor resultado entre as atividades observadas, com 55,2% em volume e 59,4% em receita nominal.  As elevadas taxas foram obtidas após a instalação de grandes empresas do ramo no Estado e também pela diversificação da linha de produtos, especialmente de suprimentos de informática.

No segmento de outros artigos de uso pessoal e doméstico, o ganho foi de 34,0% para receita de vendas na comparação com agosto/2011. Em termos de volume de vendas, acumulou no ano taxa de 17,5%. O bom desempenho deste segmento é explicado pelo dia dos pais que afetou de forma positiva a demanda, além da melhoria na renda do trabalho em termos reais, que provocou aumento na demanda por produtos de lojas de departamentos, ótica, joalheira, artigos esportivos, brinquedos, etc.

A atividade de veículos, motocicletas, partes e peças cresceu 23,9%, em volume de vendas, acumulou no ano 6,1% e em 12 meses 2,9%. Para receita nominal de vendas, variou 16,6% em agosto,  no acumulado do ano 2,1% e 0,1% em 12 meses.  Este segmento cresceu acima da média, devido à antecipação de consumo justificado pela expectativa de finalização da isenção do Imposto sobre P

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.