Em 2011, Goiás registrou recordes na Balança Comercial expandindo 38,6% suas exportações%

 
Goiás registrou recordes históricos nos componentes da Balança Comercial. As exportações alcançaram pouco mais U$ 5,6 bilhões, as importações pouco mais de U$ 5,7 bilhões, ocorrendo um fluxo de comércio (somatório das exportações e importações) de U$ 11,33 bilhões. Contudo, apesar dos feitos históricos nessas variáveis, o saldo foi negativo em U$ 123,2 milhões. Em termos de taxa as exportações cresceram 38,6%, as importações 37,2% e o fluxo de comércio 37,9%. Isso aponta para uma maior inserção do Estado na conjuntura exportadora brasileira. Comprova-se pelo aumento de participação, na última década, tanto das exportações quanto das importações e do fluxo de comércio. Respectivamente, entre 2000 e 2011 e em relação ao Brasil, o Estado aumentou sua participação de 0,99% para 2,19%; de 0,67% para 2,53% e de 0,83% para 2,35%.
Conforme levantamento do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o saldo deficitário da balança comercial goiana em 2011 foi motivado, por um lado, pela valorização da moeda brasileira que estimulou as importações e, por outro, pelo aumento da importação de Veículos e seus Acessórios, efeito causado pela indústria automobilística do Estado.
Na composição da pauta de exportação, apesar do complexo soja ter perdido 2,3% de participação em relação a 2010 continuou com o maior peso, 31,66% (US$ 1,774 bilhão) do total exportado. Em segundo lugar, ultrapassando o de carnes, figurou o complexo de minérios com 22,49% (US$ 1,26 bilhão) do total exportado, com destaque para: Sulfeto de minério de cobre, com participação de 12,64% (US$ 708,52 milhões), ferroligas 4,6% (US$ 259,88 milhões), ouro 3,57% (US$ 199,93 milhões) e amianto com 1,42% (US$ 79,78 milhões). Em terceiro lugar, o complexo carne foi responsável por 21,54% (US$ 1,207 bilhão) das vendas exteriores, com destaque para carne bovina que participou com 11,83% (US$ 662,84 milhões) e para a carne de aves com 7,2% (US$ 405,92 milhões); figuram, ainda, a carne de suínos com 2,15% (US$ 120,3 milhões) e outras carnes 0,3% (US$ 18,04 milhões).
Em 2011, pelo quarto ano consecutivo, a China foi o principal destino das exportações goianas, com valor de US$ 1,111 bilhão, 19,8% do total. Em seguida vieram: Países Baixos (Holanda) com US$ 579,26 milhões (10,3%), Índia com US$ 467,09 milhões (8,3%), Espanha com US$ 309,6 milhões (5,5%), Rússia com US$ 237,18 milhões (4,2%), Irã com US$ 222,5 milhões (3,9%), Reino Unido com US$ 210,3 milhões (3,7%) e, tendo como novidades a Argentina com U$$ 196,18 (3,2%), Alemanha com U$$ 162,06 (3,0%) e Hong Kong US$ 167,02 (2,9%) e, novamente, Arábia Saudita com US$ 151,97 milhões (2,7%), e Japão com US$ 121,03 milhões (2,2%). Os demais países representam menos de 1% de participação. Além disso, o Estado de Goiás comercializou com 157 países em 2011.
Os blocos de países com os quais o Estado mantém relações comerciais permaneceram os mesmos, com destaque para a Argentina que passou a comprar mais produtos goianos, saindo da 22ª posição em 2010 para 9ª posição no conjunto de países que adquirem produtos de Goiás.
O total exportado pelas principais empresas foi de US$ 5,342 bilhões, com 95,3% de participação. Individualmente as empresas que mais exportaram foram: Mineração Maracá Indústria e Comércio S/A com US$ 691,5 milhões (12,3%), Brasil Foods S.A. com US$ 522,93 milhões (9,3%), JBS S/A com US$ 467,56 (8,3%), Bunge Alimentos S/A com US$ 467,27 milhões (8,3%), Louis Dreyfus Commodities Brasil S.A. com US$ 388,76 (6,9%), Cargill Agrícola S/A com US$ 273,77 milhões (4,9%), Caramuru Alimentos S/A. com US$ 270,9 (4,8%), ADM do Brasil LTDA com US$ 256,15 (4,6%), Minerva S/A com US$ 226,76 milhões (4,1%), Mineração Serra Grande S/A com US$ 199,93 (3,6%), Granol Indústria Comercio e Exportação S/A com US$ 169,21 (3,0%), CIEN - Companhia de Interconexão Energética com US$ 163,04 (2,9%), Mineração Catalão de Goiás Ltda com US$ 152,88 milhões (2,7%) e Multigrain S/A com US$ 126,74 (2,3%). As demais representaram menos de 2% de participação.
Os municípios que se destacaram nas exportações foram: Alto Horizonte, que liderou o ranking estadual, com valor de US$ 691,5 milhões (12,3%), de sulfetos de minério de cobre, exportou principalmente para Índia, Espanha, Alemanha e Suécia. Em segundo lugar ficou Luziânia, que registrou US$ 455,898 milhões (8,1%), exportando principalmente produtos do agronegócio, tais como: soja e seus derivados, milho, algodão e conservas alimentícias. Os principais destinos destes produtos foram China, Espanha, Holanda, e Irã. Itumbiara ocupou a terceira posição com US$ 320,911 milhões, sobressaindo as exportações de soja e derivados, outros produtos de couro, açúcar, milho e algodão. Exportou para a Holanda, China, e Itália. Rio Verde foi o quarto maior exportador com US$ 319,39 milhões (5,7%) exportando principalmente soja e seus derivados, milho e algodão. O quinto maior exportador de 2011 foi Anápolis com US$ 254,08 (4,5%) exportando principalmente para Holanda, China e Alemanha sendo os principais produtos: soja e derivados, milho, carnes e produtos farmacêuticos. Mozarlândia, Palmeiras de Goiás, Quirinópolis, Goiânia e Catalão, respectivamente, ficaram na sexta, sétima, oitava, nona e décima posição.
As importações em 2011 atingiram o montante de US$ 5,728 bilhões, com acréscimo de 37,2% em relação a 2010. O real valorizado conjugado ao crescimento da renda doméstica são os principais motivos desse crescimento.
Os principais produtos importados em 2011 foram: veículos automóveis, tratores, etc. suas partes/acessórios US$ 2,627 bilhões (45,8%), produtos farmacêuticos US$ 882,14 milhões (15,4%), máquinas aparelhos e instrumentos mecânicos US$ 658,64 milhões (11,5%), adubos ou fertilizantes US$ 584,7 milhões (10,2%), produtos químicos orgânicos US$ 203,52 milhões (3,5%), máquinas, aparelhos e material elétricos, suas partes, etc. US$ 133,14 milhões (2,3%), instrumentos e aparelhos de óptica, fotografia, precisão, médicos etc. US$ 96,67 milhões (1,7%), aeronaves e suas partes US$ 72,05 milhões (1,3%), borracha e suas obras US$ 65,12 milhões (1,1%), Plástico e suas obras US$ 64,2 milhões (1,1%). Os demais, individualmente, representaram menos de 1%.
Em 2011, as importações goianas advieram principalmente da Coréia do Sul US$ 1,86 bilhão (32,4%), Estados Unidos US$ 852,46 milhões (14,8%), Japão US$ 831,42 milhões (14,5%), Tailândia US$ 345,9 milhões (6%), Alemanha US$ 305,17 milhões (5,3%), Suíça US$ 267,56 milhões (4,7%), China US$ 198,17 milhões (3,5%), Rússia US$ 144,73 milhões (2,5%), Canadá US$ 132,4 milhões (2,3%), Belarus US$ 99,67 milhões (1,7%), Argentina US$ 77,26 milhões (1,4%), e Itália US$ 67,4 milhões (1,2%).
As principais empresas importadoras em 2011 foram Caoa Montadora de Veículos S/A com US$ 2,01 bilhões (35,1%), MMC Automotores do Brasil S/A com US$ 970,68 milhões (16,9%), Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S/A com US$ 747,02 milhões (13,04%), John Deere Brasil Ltda. com US$ 283,06 milhões (4,9%), SVB Automotores do Brasil S/A com US$ 111,28 milhões (1,9%), ADM do Brasil Ltda com US$ 100,16 milhões (1,8%), Fertilizantes Heringer S/A com US$ 93,4 milhões (1,6%), Mosaic Fertilizantes do Brasil S/A com US$ 85,9 milhões (1,5%), Schering-Plough Indústria Farmacêutica Ltda com US$ 63,98 milhões (1,1%) e Adubos Sudoeste Ltda. com US$ 63,48 milhões (1,1%).
Os principais municípios goianos importadores, segundo o MDIC, em 2011, foram: Anápolis, Catalão, Goiânia, Aparecida de Goiânia, Rio Verde e Itumbiara. Anápolis registrou compras do exterior de US$ 3,17 bilhões. Foram adquiridos principalmente automóveis e suas partes e, em menor monta, insumos farmacêuticos. Catalão é o segundo colocado do Estado, com US$ 1,55 bilhão em importações, basicamente automóveis e insumo para fertilizantes. Goiânia veio em seguida, com total de US$ 215,54 milhões, importando, principalmente, equipamentos de informática, produtos de aço, produtos derivados de plástico, helicópteros, medicamentos e máquinas e equipamentos. Aparecida de Goiânia na quarta posição com US$ 187,6 milhões importou, basicamente, medicamentos e produtos químicos. Rio Verde com a quinta colocação e valores de US$ 177,8 milhões, produtos para fertilizantes, adubos e fertilizantes.
O balanço para as exportações goianas no ano de 2011 foi bastante positivo, observa-se que houve um aumento significativo dos valores exportados e uma maior contribuição relativa das quantidades, impulsionado pelos bons preços internacionais de commodities agrícolas e minerais. O crescimento das exportações continua a representar a continuidade da última década em que o Estado vem aumentando sua participação nas exportações do país. Quanto às importações, cresceram num ritmo paralelo às exportações, porém um pouco maior, gerando déficit na balança comercial. Para um Estado que busca aumento de produtividade e incorporação de novas tecnologias é perfeitamente normal, já que o Estado cresce muito acima da média nacional.
 
 
 
 
 
Tabela 1 - Estado de Goiás e Brasil: Balança Comercial - 2010 – 2011 (US$ 1.000 FOB)
Período
Goiás
Brasil
Exportação
Importação
Saldo
Corr.  de comércio
Exportação
Importação
Saldo
Corr. de comércio
2010
4.044.661
4.175.313
-130.652
8.219.974
201.915.285
181.768.427
20.146.858
383.683.712
Janeiro
160.095
358.254
-198.159
518.349
11.305.067
11.485.733
-180.666
22.790.800
Fevereiro
241.711
243.673
-1.962
485.384
12.197.237
11.808.086
389.151
24.005.323
Março
384.419
339.416
45.003
723.835
15.727.499
15.055.315
672.184
30.782.814
Abril
358.162
299.899
58.263
658.061
15.161.211
13.878.956
1.282.255
29.040.167
Maio
427.936
347.801
80.135
775.737
17.702.500
14.252.236
3.450.264
31.954.736
Junho
443.340
336.208
107.133
779.548
17.093.912
14.827.293
2.266.619
31.921.205
Julho
382.170
356.944
25.226
739.114
17.672.925
16.329.295
1.343.630
34.002.220
Agosto
360.816
345.917
14.900
706.733
19.236.253
16.845.865
2.390.387
36.082.118
Setembro
344.488
400.950
-56.462
745.438
18.832.790
17.761.624
1.071.166
36.594.414
Outubro
385.713
403.027
-17.314
788.740
18.380.418
16.553.986
1.826.432
34.934.404
Novembro
327.755
375.412
-47.657
703.167
17.687.332
17.395.960
291.373
35.083.292
Dezembro
228.055
367.813
-139.757
595.868
20.918.140
15.574.077
5.344.063
36.492.217
2011
5.605.193
5.728.399
-123.206
11.333.592
256.039.575
226.243.409
29.796.166
482.282.984
Janeiro
433.055
394.121
38.933
827.176
15.214.353
14.816.117
398.236
30.030.470
Fevereiro
290.976
392.172
-101.196
683.148
16.732.470
15.538.146
1.194.325
32.270.616
Março
517.436
421.262
96.174
938.698
19.285.977
17.734.390
1.551.587
37.020.367
Abril
570.661
426.560
144.101
997.221
20.172.977
18.311.799
1.861.178
38.484.776
Maio
539.599
421.959
117.641
961.558
23.208.657
19.684.260
3.524.397
42.892.917
Junho
461.197
477.446
-16.249
938.643
23.689.079
19.259.219
4.429.860
42.948.298
Julho
456.403
473.301
-16.898
929.704
22.251.877
19.113.625
3.138.252
41.365.502
Agosto
602.563
500.950
101.613
1.103.513
26.158.507
22.280.325
3.878.182
48.438.832
Setembro
434.014
530.781
-96.767
964.795
23.285.058
20.212.516
3.072.542
43.497.574
Outubro
484.003
515.548
-31.544
999.551
22.139.953
19.785.483
2.354.470
41.925.436
Novembro
407.958
595.679
-187.721
1.003.637
21.773.463
21.195.202
578.261
42.968.665
Dezembro
407.328
578.620
-171.292
985.948
22.127.204
18.312.327
3.814.877
40.439.531
Var. (%) 2010/2011
38,58
37,20
-
37,88
26,81
24,47
-
25,70
        Fonte: MDIC.
        Elaboração: SEGPLAN-GO / SEPIN / Gerência de Estatística Socioeconômica - 2012


Tabela 2 - Estado de Goiás: Principais produtos exportados – 2010 – 2011.
Produto
2011 ( jan a dez)
2010 (jan a dez)
US$ FOB
Part. (%)
Kg Líquido
US$ FOB
Part. (%)
Kg Líquido
Exportação
5.605.193.073
100,00
6.398.751.358
4.044.660.617
100,00
5.861.541.670
Complexo soja
1.774.338.231
31,66
3.769.770.075
1.374.628.092
33,99
3.830.214.298
Complexo minério
1.260.535.110
22,49
455.505.967
941.606.113
23,28
396.514.485
Sulfetos de minérios de cobre
708.517.773
12,64
264.280.470
516.784.478
12,78
234.632.175
Ferroligas
259.883.314
4,64
23.287.749
150.978.152
3,73
6.163.796
Ouro
199.929.116
3,57
3.990
191.489.652
4,73
4.913
Amianto
79.788.875
1,42
134.122.400
77.901.023
1,93
142.987.600
Outros minérios
12.416.032
0,22
33.811.358
4.452.808
0,11
12.726.001
Complexo carne
1.207.101.665
21,54
387.785.725
1.045.661.807
25,85
398.397.738
Carne bovina
662.835.801
11,83
131.630.439
567.146.382
14,02
141.309.177
Carne avícola
405.926.089
7,24
206.976.857
349.127.682
8,63
202.999.137
Carne de suínos
120.300.292
2,15
43.023.494
110.123.348
2,72
47.104.704
Outras carnes
18.039.483
0,32
6.154.935
19.264.395
0,48
6.984.720
Açúcares
343.181.900
6,12
552.306.318
195.404.522
4,83
428.802.493
Milho e derivados
319.349.356
5,70
1.006.117.736
142.449.667
3,52
584.505.573
Couros
191.821.882
3,42
41.847.959
60.995.777
1,51
19.958.236
Algodão
87.901.190
1,57
41.357.148
62.651.966
1,55
38.992.186
Veículos, suas partes e acessórios
28.979.478
0,52
2.380.462
33.911.763
0,84
2.620.522
Café e especiarias
18.496.811
0,33
3.682.665
16.912.163
0,42
5.312.228
Leite e derivados
1.409.569
0,03
420.593
4.450.343
0,11
977.990
Demais produtos
372.077.881
6,64
137.576.710
165.988.404
4,10
155.245.921
                  Fonte: MDIC.
                  Elaboração: SEGPLAN-GO / SEPIN / Gerência de Estatística Socioeconômica - 2012.
                  Nota: O total não corresponde à soma exata, devido aos arredondamentos


Tabela 3 - ESTADO DE GOIÁS: Exportação por países de destino – 2010 - 2011.
Países
2011 (jan a dez)
2010 (jan a dez)
Variação 2011/2010 (%)
US$ FOB
Part. (%)

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.