Notícias Pesquisador do IMB é premiado no I Prêmio Nacional de Educação

O pesquisador Alex Felipe Rodrigues Lima do IMB, atualmente Gerente de Estudos Socioeconômicos e de Avaliação de Políticas Públicas, foi um dos vencedores do I Prêmio Nacional de Educação com o trabalho intitulado “AVALIAÇÃO DE IMPACTO DA ESCOLA ESTADUAL DE TEMPO INTEGRAL NOS RESULTADOS DE DESEMPENHO EDUCACIONAL DO ESTADO DE GOIÁS”. 

Categoria: Notícias

O Pesquisador em estatística, Alex Felipe Rodrigues Lima, servidor de carreira do Instituto Mauro Borges, conquistou o 3º lugar no 1º Prêmio Nacional de Educação. Estudo avaliou os impactos da política estadual das escolas estaduais de tempo integral, nos resultados da avaliação de desempenho educacional em Goiás
 
O Resultado da premiação foi divulgado nesta sexta (25), pela Coordenação-Geral de Gestão de Conhecimento, Tecnologia e Prêmio, da Escola Nacional de Administração Pública, a Enap, responsável pela organização, em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FNDE.  O pesquisador Alex Felipe Rodrigues Lima, servidor do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, o IMB, e atual Gerente de Estudos Socioeconômicos e de Avaliação de Políticas Públicas do Instituto, conquistou o 3º Lugar, com o trabalho intitulado “Avaliação de Impacto da Escola Estadual de Tempo Integral nos Resultados de Desempenho Educacional do Estado de Goiás”.

“Este é o reconhecimento de um trabalho muito importante. Principalmente relacionado à educação. Avaliar políticas públicas de forma quantitativa, como foi o caso deste estudo, é sempre muito desafiador. E um prêmio como este, só prova que estamos no caminho certo. Cujo principal objetivo é ajudar a educação de Goiás”. Alex Felipe, pesquisador
 
O Prêmio Nacional de Educação foi criado para fomentar a realização de estudos e pesquisas sobre políticas públicas educacionais, principalmente nos programas financiados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com objetivo de auxiliar na atuação e aperfeiçoamento de sua gestão. Em sua primeira edição, a premiação teve como tema o “Aprimoramento da Gestão Educacional no Brasil”, como avaliação para estratégias de planejamento, controle social, monitoramento de riscos, avaliação de impacto e indicadores de resultado.

O estudo, realizado em parceria com os pesquisadores Erik Alencar de Figueiredo, Felipe Resende Oliveira e Rodrigo Nobre Fernandez, buscou encontrar evidências empíricas sobre a experiência das escolas em tempo integral da Rede Estadual de Ensino do Estado de Goiás. Para isso, os autores utilizaram métodos de identificação causal para determinar o efeito do programa. “Comparamos as escolas integrais com as que ainda não oferecem esse tipo de ensino, pelo método de diferenças e diferenças. Que permite analisar diversos anos de tratamento, de acordo com a adesão ao Ensino Integral, obtendo o real efeito do programa” , pontuou o líder do estudo, Alex Felipe. 

Os principais resultados indicam que o programa propicia às escolas de ensino fundamental – anos finais e do Ensino Médio – um desempenho significativamente superior nas provas da Prova Brasil, Saego e no Ideb, em comparação com as demais escolas. Além disso, foi possível detectar os efeitos significativos que diminuem a taxa de reprovação e abandono escolar. “Na maioria dos casos, os resultados foram muito bons no sentido de melhorar o comportamento [dos alunos] depois da inserção do programa”, observou o pesquisador.

Para analisar os efeitos da aplicação do ensino integral, a pesquisa realizou uma comparação entre escolas com e sem esse sistema. A comparação ocorreu com base em dados empíricos coletados por meio de indicadores educacionais, tais como o Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb), a Prova Brasil, além de provas de português e matemática, e as taxas de reprovação, aprovação e abandono escolar. “As escolas que se transformaram em tempo integral experimentaram um impacto significativo nesses indicadores. Elas melhoram o desempenho nas provas e no rendimento escolar” , ressaltou Alex. 
 
Para o diretor-executivo do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, Guilherme Rezende, o prêmio reafirma a qualidade técnica do Instituto. “A principal importância desse trabalho, além da conquista do prêmio, é mostrar a qualidade técnica dos trabalhos e de nossos servidores, que são responsáveis por diversos estudos, que contribuem na criação de diversas políticas públicas que chega até o cidadão” , aponta o diretor.
 
Estudo irá contribuir com avanço nas melhorias da educação em Goiás 
 
Estudos sobre o desempenho da educação, como o realizado por Alex, auxiliam não só no melhor entendimento sobre a realidade educacional do Estado, como também contribuem para uma melhor aplicação de políticas públicas. “O importante desse trabalho é proporcionar dados científicos para guiar as tomadas de decisões dos gestores” , destacou o pesquisador.  
 
A exemplo de políticas públicas baseadas em pesquisas e estatísticas, somados a volumosos investimentos, o Governo de Goiás colhe os resultados da conquista do 1º lugar no ranking do Ideb, . Criado pelo governo federal, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica é utilizado pelo Ministério da Educação para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas em todo o país. A preocupação da atual gestão com a educação goiana refletiu positivamente no ensino goiano, fazendo-o atingir o maior patamar no Ideb, entre todas as unidades federativas. 


Comunicação Setorial - Secretaria-Geral da Governadoria
Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos

Para acessar o resultado clique neste link.

Fonte: ENAP, 2021.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.