Plataforma desenvolvida pelo INPE/MCTI permite acessar projeções de mudança do clima para todo o Brasil

Iniciativa, que contou com apoio do MCTI e do projeto da Comunicação Nacional do Brasil à Convenção do Clima, disponibiliza projeções climáticas de maneira acessível, com mapas e gráficos, para subsidiar ações de adaptação ou aprofundamento de estudos.

por INPE
Publicado: Nov 26, 2020

São José dos Campos-SP, 26 de novembro de 2020

 

O Brasil conta com uma plataforma online em que é possível visualizar cenários de mudança do clima para todo o território nacional. O portal Projeções Climáticas foi desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A iniciativa conta com o suporte do projeto de cooperação internacional Quarta Comunicação Nacional e Relatórios de Atualização Bienal do Brasil à Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês).

A ferramenta inédita no país foi construída para disponibilizar de maneira acessível projeções climáticas, derivadas de modelos globais e regionais. Por meio da plataforma é possível visualizar o aumento de temperatura, a redução ou aumento de chuvas, a variação no número de dias quentes consecutivos, entre outros aspectos relacionados à mudança do clima. As consultas podem ser realizadas por meio da seleção de filtros que envolvem cenários projetados por horizonte temporal, para os próximos anos ou décadas, ou cenários por nível de aquecimento, ou seja, o que deve ocorrer em determinada região se a temperatura média global aumentar 1,5 ºC, 2 ºC ou 4ºC.

"Havia uma demanda por essas informações climáticas", explica Lincoln Alves, pesquisador da Coordenação-Geral de Ciências da Terra e um dos coordenadores de desenvolvimento da plataforma no INPE. De acordo com Alves a proposta foi disponibilizar esses dados de maneira mais didática para que todos os envolvidos na Comunicação Nacional tivessem acesso e pudessem desenvolver seus estudos. A partir dessa necessidade, a iniciativa foi expandida para atender também as demandas de outros atores.

Os dados disponíveis podem ser extraídos por meio de download de dados brutos, que necessitam de análise e interpretação de especialistas, e também podem ser visualizados em mapas interativos. Essas possiblidades foram pensadas para atender às demandas de dois perfis de público: um mais técnico, como pesquisadores do assunto que buscam dados muito específicos, mas também permitir acesso intuitivo a não técnicos. "Há uma demanda da sociedade em desenvolver estudos de impacto e adaptação à mudança do clima", analisa Alves ao citar os setores acadêmico, iniciativa privada, órgãos governamentais de todas as esferas, entre outros usos técnicos potenciais. As informações podem auxiliar em estudos em diversos setores socioeconômicos e temas como agricultura, energia, saúde, recursos hídricos, ecossistemas, cidades, entre outros.

Na avaliação do pesquisador, a plataforma idealizada pelo INPE representa uma atitude proativa do Brasil para que a sociedade tenha acesso direto a informações qualificadas. Até então, apenas provedores internacionais disponibilizavam informações dessa natureza e com características técnicas que restringiam o acesso apenas a especialistas. "O principal diferencial desse produto é tornar mais acessível e amplificar o público para a difusão do conhecimento", afirma sobre um primeiro nível de informações.

Articulador institucional - O projeto da Quarta Comunicação Nacional e de Relatórios Bienais do Brasil à UNFCCC, coordenado pelo MCTI, que reúne mais de 100 instituições e cerca de 400 especialistas, tem como finalidade relatar, por meio de um documento oficial, os esforços do país para implementar a Convenção do Clima, um compromisso internacional assumido pelo governo brasileiro.

No âmbito nacional, o projeto assume um papel de articulador institucional sobre a agenda do clima à medida que conecta institutos de pesquisa, especialistas, iniciativa privada e órgãos governamentais. Por meio de iniciativas do projeto, são desenvolvidos estudos sobre a mudança do clima no Brasil, considerando as peculiaridades nacionais, e oferecido suporte a novas ferramentas, como a plataforma de Projeções Climáticas desenvolvida pelo INPE.

"O suporte financeiro [fornecido pelo MCTI e pelo projeto] permitiu o desenvolvimento do produto e a articulação institucional permite que as informações produzidas pelo INPE cheguem às demais instituições", analisa Alves sobre o papel de conectar necessidades de informações e usuários para atender às demandas por informações climáticas no país.

Para o diretor Nacional da Quarta Comunicação e coordenador-geral de Ciência do Clima e Sustentabilidade no MCTI, Márcio Rojas, o apoio oferecido pelo ministério e pelo projeto para o desenvolvimento da plataforma Projeções Climáticas cumpre seu papel de difusão do conhecimento sobre mudança do clima para a sociedade brasileira. "É um mecanismo de consulta que será muito útil ao aprofundamento de estudos e aos tomadores de decisão sobre ações de adaptação", afirma Rojas.

Além da articulação com os atores nacionais, o projeto estimula a articulação com os institutos internacionais que desenvolvem modelos climáticos, como o Met Office do Reino Unido.

A ideia é que a plataforma seja atualizada com novos modelos climáticos que estiverem disponíveis, como os gerados pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC).

Fonte: MCTI
https://www.gov.br/mcti/pt-br/acompanhe-o-mcti/noticias/2020/11/plataforma-desenvolvida-pelo-inpe-mcti-permite-acessar-projecoes-de-mudanca-do-clima-para-todo-o-brasil

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.