Goiás registra o melhor saldo do emprego para o primeiro semestre de todos os anos da série histórica

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostraram que no mês de junho de 2007 houve crescimento de 0,96% no número de empregos com carteira assinada, o que correspondeu à geração de 7.236 novas vagas em Goiás (gráfico 1). Os dados revelam que as vagas criadas no primeiro semestres deste ano foram a maior da história, com um aumento de 48.586 postos, número 74,41% superior ao saldo verificado no mesmo período do ano passado e que representa expansão de 6,79% no estoque de empregos formais observado desde o início do ano. O recorde semestral anterior era de 2004, quando o estoque foi ampliado em 38.302 de postos (gráfico 2). O bom desempenho do mercado formal de trabalho neste semestre está associado à expansão na produção na indústria de alimentos e bebidas, especialmente a produção de álcool e açúcar, ao ambiente favorável para os negócios, propiciados pela continuidade da queda dos juros, e às facilidades na concessão de crédito, o que facilita a expansão do consumo. Cabe ainda ressaltar que o Estado de Goiás teve o melhor resultado, em termos absolutos, da região Centro-Oeste no semestre.

 

Gráfico 1

Estado de Goiás: Saldo – Admitidos/Desligados – 2006/07

Fonte: MTE/Cadastro Geral de Empregados e Desempregados lei 4.923/65

 

Gráfico 1

Estado de Goiás: Saldo – Admitidos/Desligados – Primeiro Semestre 2000/07

Fonte: MTE/Cadastro Geral de Empregados e Desempregados lei 4.923/65

 

Setores de atividades

Em termos setoriais, a expansão do emprego formal no mês de junho de 2007 foi bastante expressiva nos principais setores. O setor que mais contribuiu para o saldo verificado foi a indústria de transformação, que registrou um resultado de 2.505 postos de trabalho. Em seguida veio a agropecuária, com 1.687 novas vagas, serviços, com 1.265 e construção civil, com 886 postos de trabalho. Administração pública (-32 vagas) foi a única atividade que obteve saldo negativo em junho de 2007.

Comportamento semelhante foi verificado no primeiro semestre de 2007, quando a atividade da indústria de transformação foi responsável por 49,20% da abertura de novas vagas no mercado formal de trabalho. Em seguida veio a agropecuária, com 20,44%, serviços, com 13,23% e construção civil, com 10,06% do total de empregos gerados no primeiro semestre em Goiás.

A elevação do emprego na industria de transformação, no semestre, foi provocada em grande medida pelas atividades ligadas a alimentos e bebidas (20.804vagas), em especial os ramos de produção de álcool e açúcar. Com relativa importância foram registradas elevações nos segmentos de têxtil e vestuários (1.326 vagas) e material de transportes (402 vagas).

A agropecuária, no primeiro semestre, foi a segunda atividade econômica com maior contribuição na geração de novos postos de trabalho em Goiás, atingindo 9.993 vagas, sendo o ramo de cultivo de cana-de-açúcar o principal responsável. Outra atividade importante que contribuiu para o bom desempenho do mercado de trabalho formal foi serviços, com 6.428 novos postos, favorecido por alojamento e alimentação e comércio e administração de imóveis. Em quarto lugar veio construção civil (4.888 vagas), sobretudo nos ramos de obras viárias e construção de edifícios comerciais e residenciais.

Tabela 1

Estado de Goiás: Saldo – Admitidos/Desligados por setor de atividade econômica – 2006/07

Fonte: MTE/Cadastro Geral de Empregados e Desempregados lei 4.923/65

Municípios

Dos municípios goianos com mais de 30 mil habitantes, os melhores desempenhos, em termos absolutos, no primeiro semestre de 2007, foram constatados em Goiânia, com 6.563 novas vagas, Goianésia, com 3.248, Rio Verde, com 2.273 e Itumbiara, com 2.328 novos postos de trabalho.  É usual neste período os municípios não metropolitanos terem seus desempenhos associados às atividades agroindustriais, mais especificamente, à cadeia sucroalcooleira, que neste ano em particular tem apresentado dinamismo superior ao outros. Nesse sentido, o interior do estado tem sido bastante beneficiado pela sazonalidade positiva desta atividade.

Tabela 2

Estado de Goiás: comportamento do mercado formal de trabalho, por municípios com mais de 30 mil habitantes – 2006/07

Fonte: MTE/Cadastro Geral de Empregados e Desempregados lei 4.923/65

 

Equipe de Conjuntura da Seplan:

Dinamar Ferreira Marques

Eduiges Romanatto

Marcos Fernando Arriel

Maria de Fátima Mendonça Faleiro Rocha

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.