Análises Conjunturais Crescimento de 10,38% no volume de vendas em Goiás

Categoria Pai: Análises Conjunturais
Categoria: PMC - Pesquisa Mensal do Comércio

Em outubro, o comércio varejista ampliado em Goiás apresentou um crescimento no volume de vendas de 10,38% e na receita nominal de 10,18%,considerando o mesmo período do ano anterior. Estes resultados ficaram próximos dos níveis nacionais que foram 10,6% e 9,94%, respectivamente. Considerando o indicador em relação ao mês anterior, com ajuste sazonal, o comércio varejista goiano apresentou um decréscimo no volume de vendas de –1,99%, e na receita nominal uma queda de –2,77%. No Brasil estes valores foram 0,51% e 0,38%, respectivamente.

No mês de outubro, comparando-se com o mesmo período do ano anterior, destacaram-se em Goiás os setores sensíveis à renda, como hipermercados e supermercados, com crescimento no volume de vendas de 7,21% e na receita nominal de 6,51%. O setor móveis e eletrodomésticos apresentou um crescimento de 18,19% no volume e 13,19% na receita nominal de vendas. Neste segmento impactaram além da renda, as condições propícias de crediário e de preços decorrentes do aumento da importação de produtos favorecidos pelo câmbio. O setor de tecidos, vestuários e calçados, que também é sensível à renda disponível, apresentou um crescimento no volume (18,19%), e um acréscimo na receita nominal de 13,63%.

O setor combustíveis e lubrificantes continuou apresentando resultados fortemente negativos com queda no volume de vendas (-16,56%) e na receita nominal (-9,39%). Estes dados indicam uma situação menos favorável que os resultados nacionais (-5,71%% no volume de vendas e -0,42%  na receita nominal).

O segmento material de escritório e informática e comunicação, beneficiado pelo câmbio e pelas condições de crédito apresentou elevado crescimento, com ampliação no volume de 35,92% e na receita nominal de 10,42%. Pesam para o crescimento deste setor os aumentos nas vendas de computadores além da contínua expansão das vendas de celulares que atingem as classes de menor poder aquisitivo.

Outro setor que vem se destacando é o de veículos, motores, partes e peças, com forte crescimento em decorrência do aumento da renda e do crédito com juros mais baixos para a venda de veículos novos. Em outubro houve aumento no volume, se comparado ao mesmo período do ano anterior, de 22,15% e na receita de vendas de 12,76%.

 

Tabela 3

Estado de Goiás e Brasil: Variação de volume de vendas no comércio varejista ampliado – outubro de 2006

Segmentos

Variação (%)

Brasil

Goiás

Out.

No ano

Out.

No ano

Combustíveis e Lubrificantes

-5,71

-8,88

-16,56

-19,48

Hipermercados supermercados produtos alimentícios, bebidas e fumo

6,06

7,47

5,54

12,94

- Hipermercados e Supermercados

6,51

7,55

7,21

14,93

Tecidos, vestuários e calçados

-0,96

1,42

5,09

-0,96

Móveis e eletrodomésticos

18,10

10,49

18,19

12,94

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos

4,69

4,02

-3,63

16,56

Livros, jornais, revistas e papelaria

5,29

1,54

14,35

25,74

Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação

24,90

33,71

35,92

7,90

Outros artigos de uso pessoal e doméstico

21,96

16,91

-6,35

-3,05

Veículos, motores, partes e peças

17,71

6,54

22,15

10,75

Material de construção

14,96

4,85

8,20

1,43

Comércio varejista  geral

10,6

6,05

10,38

7,58

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.

Base: Igual mês do ano anterior = 100

 

 

Tabela 4

Estado de Goiás e Brasil: Variação de receita nominal no comércio varejista ampliado –  outubro de  2006

Segmentos

Variação (%)

Brasil

Goiás

Out.

No ano

Out.

No ano

Combustíveis e Lubrificantes

-0,42

3,56

-9,39

-8,12

Hipermercados supermercados produtos alimentícios, bebidas e fumo

5,61

6,08

4,90

11,39

- Hipermercados e Supermercados

6,04

6,16

6,51

13,37

Tecidos, vestuários e calçados

4,10

6,74

13,63

7,81

Móveis e eletrodomésticos

12,80

7,90

13,19

10,56

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos

9,37

9,59

0,31

22,12

Livros, jornais, revistas e papelaria

10,26

6,84

21,72

30,57

Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação

8,79

15,87

10,42

-9,12

Outros artigos de uso pessoal e doméstico

19,71

21,13

-1,20

4,25

Veículos, motores, partes e peças

14,20

7,34

18,64

9,45

Material de construção

18,54

9,09

12,76

5,22

Comércio varejista  geral

9,94

7,46

10,18

8,38

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.

Base: Igual mês do ano anterior = 100

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.