Volume de vendas cresce 2,53% em relação ao mês de outubro

No mês de novembro o comércio varejista ampliado em Goiás teve um incremento no volume de vendas de 14,57% e na receita nominal de 13,72%, se comparados ao mesmo período do ano anterior. Para o Brasil, estes índices foram 10,22% e 9,74%, respectivamente. Em relação ao mês anterior com ajuste sazonal, o comércio varejista goiano apresentou um expressivo crescimento no volume de vendas de 2,53% , e na receita nominal um aumento de 2,40 %. No Brasil estes valores foram 0,56% e 0,93%, respectivamente. Os dados confirmam um ótimo desempenho para o comércio goiano no período, destacando-se os setores sensíveis à renda, bem como aqueles que são influenciados pela expansão do crédito, apesar das elevadas taxas de juro do varejo.

O setor hipermercados e supermercados apresentou um crescimento no volume de vendas de 11,27% e na receita nominal de 10,78%. Este bom resultado é decorrente do aumento da renda disponível da população, bem como da estabilidade dos preços de produtos básicos.

O setor móveis e eletrodomésticos apresentou um crescimento de 16,14% no volume e 12,38% na receita nominal de vendas. Contribuem para este resultado a renda, o crédito ao consumidor e os preços decorrentes do aumento da importação de produtos favorecidos pelo câmbio. O setor de tecidos, vestuários e calçados, que também é sensível à renda disponível, apresentou um incremento no volume de 3,88% e na receita nominal de 12,79%.

O setor combustíveis e lubrificantes apresentou resultados negativos com queda no volume de vendas (-12,12%) e na receita nominal (-11,46%).

O segmento material de escritório e informática e comunicação, beneficiado pelo câmbio, pelo crédito e pela redução dos preços decorrentes da alta concorrência do setor, apresentou uma ampliação no volume de 16,51% e na receita nominal uma queda de –4,48%.

O setor de material de construção tem apresentado resultados positivos, decorrentes das ações de estímulo à construção civil, com crescimento no volume de 6,20% e na receita nominal de 10,78%

O setor veículos, motores, partes e peças, que tem apresentado um forte crescimento, sendo este decorrente do aumento principalmente da ampliação do crédito com juros mais baixos para a venda de veículos novos, em novembro houve um aumento no volume, se comparado ao mesmo período do ano anterior, de 30,43 % e na receita de vendas de 26,59 %.

Tabela 3
Estado de Goiás e Brasil: Variação de volume de vendas no comércio varejista ampliado – novembro de 2006

Segmentos

Variação (%)

Brasil

Goiás

Nov.

No ano

Nov.

No ano

Combustíveis e Lubrificantes

-2,58

-8,33

-12,12

-18,88

Hipermercados supermercados produtos alimentícios, bebidas e fumo

9,17

7,64

9,31

12,6

- Hipermercados e Supermercados

9,68

7,76

11,27

14,58

Tecidos vestuários e calçados

7,01

1,95

3,88

-0,51

Móveis e eletrodomésticos

14,86

10,93

16,14

13,26

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos

3,42

3,96

4,87

15,38

Livros, jornais, revistas e papelaria

-3,11

0,94

12,17

24,54

Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação

22,67

32,25

16,51

8,5

Outros artigos de uso pessoal e doméstico

23,9

17,64

-10,45

-3,88

Veículos, motores, partes e peças

12,22

7,14

30,43

12,51

Material de construção

10,42

5,39

6,20

1,88

Comércio varejista geral

10,22

6,46

14,57

8,23

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.


Base: Igual mês do ano anterior = 100

Tabela 4


Estado de Goiás e Brasil: Variação de receita nominal no comércio varejista ampliado – novembro de 2006

Segmentos

Variação (%)

Brasil

Goiás

Nov.

No ano

Nov.

No ano

Combustíveis e Lubrificantes

1,00

3,31

-11,46

-8,46

Hipermercados supermercados produtos alimentícios, bebidas e fumo

9,05

6,37

8,89

11,15

- Hipermercados e Supermercados

9,52

6,49

10,78

13,12

Tecidos, vestuários e calçados

12,39

7,28

12,79

8,29

Móveis e eletrodomésticos

10,38

8,15

12,38

10,75

Artigos farmacêut., médicos, ortopédicos, perf. e cosméticos

7,81

9,42

8,99

20,76

Livros, jornais, revistas e papelaria

1,58

6,17

19,58

29,60

Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação

8,60

14,92

-4,48

-8,80

Outros artigos de uso pessoal e doméstico

19,6

20,97

-6,06

3,06

Veículos, motores, partes e peças

10,02

7,74

26,59

10,97

Material de construção

13,99

9,57

10,78

5,75

Comércio varejista geral

9,74

7,72

13,72

8,88

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.


Base: Igual mês do ano anterior = 100

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.