Análises Estruturais Goiás se mantém em 3º lugar no ranking nacional de efetivos de bovinos em 2013

Categoria Pai: Análises Estruturais
Categoria: PPM - Pesquisa da Pecuária Municipal

No ano de 2013 a atividade pecuária enfrentou o efeito do clima, como a ocorrência de uma seca prolongada em áreas historicamente produtoras. No entanto, a safra recorde de grãos favoreceu o setor, que é dependente da oferta de milho e soja para a alimentação dos animais, diferentemente do ocorrido em 2012, que além da seca severa houve um aumento do custo desses insumos (rações de milho e soja).

Cabe destacar que a Produção da Pecuária Municipal (PPM) de 2013, pela primeira vez investiga a aquicultura nacional. A aquicultura é subdividida em piscicultura (criação de peixes e alevinos), carcinicultura (criação de camarões e suas larvas e pós-larvas), malacocultura (criação de ostras, vieiras e mexilhões e suas sementes) e criação de outros animais aquáticos (rãs, jacarés e outros). A pesquisa passa também a divulgar o total de matrizes de suínos (fêmeas destinadas à reprodução). A variável “galos, frangas, frangos e pintos” foi eliminada, e o total de animais desta espécie passa a ser divulgada em Galináceos. O total de galinhas, destinadas à produção de ovos independente da finalidade, foi mantido. A partir desta edição da pesquisa, deixa de serem investigados os efetivos de asininos (jumentos), muares (mulas) e coelhos.

O efetivo de bovinos no Brasil em 2013 manteve-se estável (+0,2%) em relação ao ano anterior. Na região Centro-Oeste, houve redução de 1,7% do rebanho bovino, com quedas no número de cabeças nos principais Estados produtores: Mato Grasso, Goiás e Mato Grosso do Sul. Apenas no Distrito Federal ocorreu aumento no efetivo. No entanto, a região obteve a maior participação no cenário nacional (33,6%), seguido pelo Norte (21,1%) e Sudeste (18,6%).

Os maiores efetivos de bovinos em 2013 concentraram-se no Estado de Mato Grosso (13,4%), Minas Gerais (11,4%) e Goiás (10,2%). Goiás se mantém em 3º lugar no ranking nacional, posição que ocupa desde 2011, mesmo com uma redução de 2,1% em relação ao ano anterior.

O município goiano de Nova Crixás com 700.000 cabeças em 2013 possuía o maior rebanho do Estado, além de ocupar 15º lugar no ranking nacional. Outro município de destaque foi São Miguel do Araguaia, que ocupou o 24º lugar no ranking nacional com 586.210 cabeças.

 

 

Tabela 1-Brasil e Estado de Goiás: Efetivos dos rebanhos - 2013

Categoria

Efetivos dos rebanhos (cabeças)

Brasil

Goiás

Goiás/Brasil

Participação %

Posição

Grande porte

       

Bovino

211.764.292

21.580.398

10,19

Equino

5.312.076

394.799

7,43

Bubalino

1.332.284

34.443

2,59

Médio porte 

       

Suíno

36.743.593

2.060.360

5,61

Caprino

8.779.213

33.075

 0,38

16º

Ovino

17.290.519

172.808

1,00

18º

Pequeno porte

       

Galináceos

1.248.785.538

60.727.995

4,86

Codornas

18.171.955

539.363

2,97

Fonte: IBGE.

Elaboração: Instituto Mauro Borges / SEGPLAN-GO / Gerência de Sistematização e Disseminação de Informações Socioeconômicas – 2015.

 

 

Suínos: O município de Rio Verde possui o segundo maior efetivo de suínos do país

Em 2013, o efetivo de suínos no Brasil foi estimado em 36,7 milhões de cabeças, 5,3% a menos do que em 2012. No Estado de Goiás houve um aumento de 2,2% em relação ao ano de 2012, o que equivale a mais 43.916 animais.  Apenas o Estado do Rio Grande do Sul obteve um aumento considerável em número de cabeças, mais de 107 mil. No entanto, Goiás ainda ocupa a 5º posição no ranking nacional de efetivo de suínos.

O grande responsável pelo aumento no número de suínos em Goiás foi Rio Verde. O município registra o segundo maior efetivo no país com 780 mil cabeças. Destaque-se que em 2013 houve um acréscimo de 48 mil animais em relação a 2012.


Galináceos: Goiás se mantém em 5º lugar no ranking nacional de efetivo de galináceos

O efetivo de galináceos no Brasil foi de 1,3 bilhão de cabeças em 2013, 0,3% a mais do que em 2012, com maior concentração nas regiões Sul (46,3%) e Sudeste (29,7%).  O Estado de Goiás com 60.727.995 cabeças no ano de 2013 apresentou crescimento de 2,2% em relação a 2012.

O município de Rio Verde também foi destaque na criação de galináceos ocupando o 5º lugar no ranking nacional e com o maior efetivo do Estado com 12 milhões de cabeças, representando cerca de 20% do efetivo total. O município de Buriti Alegre na 24º posição do ranking nacional tinha a segunda maior criação do Estado com 5,1 milhões de cabeças.


Leite: Goiás ocupou a 4º posição no ranking nacional

Em 2013, a produção nacional foi de 34,3 bilhões de litros de leite, com crescimento de 6,0% na comparação com 2012. Goiás produziu 3,77 milhões de litros de leite, com crescimento de 6,5%. O Estado ainda ocupa a 4º posição no ranking nacional, no entanto sua participação em relação ao total nacional aumentou de 10,85% para 11,03%.

Em relação ao valor de produção, no Estado de Goiás ocorreu um aumento de 19,76% sobre o obtido em 2012, esse valor está abaixo do aumento nacional de 21%. O preço médio do litro de leite foi de R$ 0,88 em 2013 contra R$ 0,79 em 2012, aumento de 11,4%. A média nacional de preço por litro foi de 0,83 centavos, a maior média registrada foi no Amapá (R$1,70 o litro) e a menor em Rondônia (R$0,72 o litro).

O município de Morrinhos foi o segundo em produção de leite no Brasil, com uma produção de 165.495 mil litros em 2013, representando aumento de 21.345 mil litros em relação ao ano anterior. Além disso, Piracanjuba passou a ocupar a quarta posição em vez da sexta em 2012.

 

 

Tabela 2- Brasil e Estado de Goiás: Produção e valor da produção de origem animal - 2013

Produtos

Produção

Valor da produção (mil reais)

Brasil

Goiás

Goiás/Brasil

Brasil

Goiás

Goiás/Brasil

Participação %

Posição

Participação %

Posição

Leite (mil litros)

34.255.236

3.776.803

11,03

32.417.960

3.322.370

10,25

Ovos  mil dúzias)

3.961.720

203.437

5,14

8.583.702

510.056

5,94

Mel de abelha (kg)

35.364.528

343.683

0,97

16º

263.195

4.630

1,76

16º

Lã (kg)

12.041.035

960

0,01

88.122

16

0,02

Fonte: IBGE.

Elaboração: Instituto Mauro Borges / SEGPLAN-GO / Gerência de Sistematização e Disseminação de Informações Socioeconômicas – 2015.

 


Piscicultura: A produção de Dourado em Goiás representa
86,76% da produção nacional

A produção total da piscicultura brasileira em 2013 foi de 392,5 mil toneladas. A região Centro-Oeste foi a principal produtora com 26,8% do total (105 mil toneladas). Goiás ficou na 5º posição no ranking nacional, com 5,84% da produção nacional.

A espécie mais criada no Estado foi a tilápia (7.371.028 kg), seguida pelo grupo Pacu e Patinga (4.598.757 kg) e pelo tambaqui (4.282.994 kg). Também, a produção de Dourado representa 86,76% da produção nacional com 120.650 kg, desta maneira, ocupa a 1º posição do ranking nacional.


 

Gerência de Sistematização e Disseminação de Informações Socioeconômicas

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.