CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho e Emprego foi criado pelo Governo Federal, através da Lei nº 4.923/65, que instituiu o registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT.

Séries Históricas

 

Este Cadastro Geral serve como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que subsidia a tomada de decisões para ações governamentais. É utilizado, ainda, pelo Programa de Seguro-Desemprego, para conferir os dados referentes aos vínculos trabalhistas, além de outros programas sociais. 

Cobertura das Informações 

O CAGED informa, mensalmente, a movimentação do emprego assalariado celetista. Descreve, portanto, uma parcela do total de pessoas que trabalham. Em relação a esta parcela, sua cobertura é expressiva: abrange todo o território nacional; permite desagregar os dados por regiões, mesorregiões, microrregiões, Unidades da Federação e Municípios; e cobre cerca de 85% do universo destes empregados, percentual que se eleva em algumas regiões e setores econômicos. 

Localização Geográfica do Informante 

As informações prestadas pelas empresas ao CAGED referem-se aos vínculos gerados na área geográfica em que está localizada sua planta ou em que ela executa suas atividades, independentemente do local de residência do empregado. Ou seja, o CAGED identifica onde são criados os postos de trabalho. 

Variabilidade dos Dados 

As empresas devem informar todas as movimentações ocorridas no mês de referência. Se a cobertura fosse total – em termos espaciais, setoriais ou de número de empresas – as informações do CAGED teriam caráter censitário, não estando sujeitas a variações. Contudo, até o dia 07 de cada mês, data limite para envio das informações ao MTE, são recebidos cerca de 95% do total de declarações, com os demais 5% sendo incorporados a posteriori no índice de emprego. Ademais, a cobertura do universo não é total, havendo variação por região do país e por setor de atividade. 

Isto significa que quanto menores forem as oscilações de emprego registradas em um determinado mês, maiores as chances de elas serem expressão de fatores de variabilidade destas bases de informação e não de movimentos do mercado de trabalho. 

Período de Referência 

As empresas informam ao CAGED o número de admissões e desligamentos realizados no mês imediatamente anterior. Assim, o índice de emprego divulgado pelo MTE refere-se à variação do emprego celetista ocorrida em um mês. 

Texto elaborado com base em Nota Técnica do MTb – Ministério do Trabalho.

 

 

 

 

Publicações

No mês de novembro, Goiás gerou um saldo negativo de 4.587 empregos formais - Novembro/2019

21 Janeiro 2020
Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), recentemente divulgados pelo Ministério da Economia, em novembro de 2019, o estado gerou um saldo negativo de 4.587 empregos com carteira de trabalho assinada, o que levou o estado a pior posição entre as demais Unidades da Federação.

No mês de outubro, Goiás gerou um saldo positivo de 512 empregos formais - Outubro/2019

27 Novembro 2019
Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), recentemente divulgados pelo Ministério da Economia, pelo décimo mês consecutivo Goiás apresentou saldo positivo de emprego formal. Em outubro de 2019, o estado gerou um saldo de 512 empregos com carteira de trabalho assinada.

Goiás registra aumento de 16,4% no saldo de empregos formais

01 Novembro 2019
Em setembro, Goiás gerou saldo de 4.719 vagas líquidas, o que respresentou um aumento de 16,4% em relação ao saldo do mês anterior.  O destaque foi para o setor de Serviços, que registrou 19.272 admissões e apresentou o maior saldo (2.210). Os municípios que mais empregaram foram Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis, que juntas responderam por cerca de 60% dos empregos formais.

Goiás gerou um saldo de 4.054 empregos com carteira assinada

27 Setembro 2019
Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), recentemente divulgados pelo Ministério da Economia, pelo oitavo mês consecutivo Goiás apresentou saldo positivo de emprego formal. Em agosto de 2019, o estado gerou um saldo de 4.054 empregos com carteira de trabalho assinada e foi o terceiro melhor resultado do ano.

Pelo sétimo mês seguido, Goiás tem saldo positivo na geração de empregos formais - Julho/2019

02 Setembro 2019
Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), recentemente divulgados pelo Ministério da Economia, em julho de 2019, o estado de Goiás foi o 2º colocado da região Centro-Oeste e o 6º estado em todo o País a gerar mais empregos formais, com um saldo de 2.644 novos postos de trabalho.

Goiás foi o sexto estado que mais gerou emprego formal no Brasil em junho de 2019 - Junho/2019

02 Agosto 2019
Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), recentemente divulgados pelo Ministério da Economia, em junho de 2019, o estado de Goiás foi o 1º colocado da região Centro-Oeste e o 6º estado em todo o País a gerar mais empregos formais, com um saldo de 2.077 novos postos de trabalho.

Goiás foi o quarto estado que mais gerou emprego formal no Brasil em maio de 2019, com 2.796 novos postos de trabalho - Maio/2019

16 Julho 2019
Segundo dados recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) divulgados pelo Ministério da Economia, em maio de 2019 o estado de Goiás foi o 4º estado em todo o País a gerar mais empregos formais, com um saldo de 2.796 novos postos de trabalho, perdendo apenas para os estados de Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo, além de ser o 1º colocado da região Centro-Oeste.